domingo, 20 de abril de 2014

O Apanhador no Campo de Centeio (J.D. Salinger)


O Apanhador no Campo de Centeio é um romance escrito pelo americano J. D. Salinger, tendo sua primeira publicação em 1951. A obra é considerada uma das mais importantes do século XX, devido à sua grande influência em jovens de todas as gerações até os dias de hoje. 

O livro tem como protagonista Holden Caulfield, um adolescente de 16 anos com dificuldade de deixar a inocência para trás e entrar na vida adulta. A história começa com Holden reprovando na escola pela quarta vez, e consequentemente sendo expulso. Alguns dias antes da data marcada para ele voltar para casa, ele procura alguma forma de concluir seus últimos dias de vida escolar, mas acaba tão enjoado da escola e do seu colega de quarto que decide partir no meio da noite para Nova Iorque. Para não chegar em casa antes da data esperada por seus pais, ele decide ficar pela cidade para adiar o confronto com eles. Durante três dias na cidade, ele busca por respostas e conselhos em conversas com velhos amigos, taxistas, prostitutas, professores e freiras, chegando a conclusões muito importantes para sua vida. Quando seu dinheiro acaba, ele pensa em fazer um “mochilão” no oeste dos EUA, mas acaba voltando para casa, principalmente para estar com sua irmã mais nova, Phoebe. Apesar do autor não explicitar ao longo da obra, é possível fazer uma divisão dos assuntos abordados em três partes: quando Holden é expulso da escola Pencey Prep, as aventuras de Holden na cidade de Nova Iorque e, por fim, o retorno de Holden à sua casa. 

A obra é narrada em 1ª pessoa, sendo possível identificar três vozes: a de J.D. Salinger, a de Holden Caulfield com 17 anos, na narração, e a de Holden Caulfield com 16 anos, nos diálogos. A narração é feita na forma de fluxo de consciência, ou seja, os eventos são narrados na medida em que Holden Caulfield pensa neles, o que faz com que a cronologia dos fatos não seja exata. A linguagem é marcada pela fala informal dos adolescentes americanos da época e pelas expressões próprias do personagem. A intenção de Salinger era fazer com que seu personagem fosse o mais autêntico possível e, ao mesmo tempo, único e individual. 

O foco não é o que de fato acontece, mas sim as reflexões do personagem ao longo das situações. 

Na passagem que dá o título ao livro, Holden explica que não consegue se imaginar se encaixando em nenhum papel que a sociedade espera dele, como por exemplo, ser um advogado ou um cientista. Ao invés disso, ele se imagina como um apanhador no campo de centeio, que fica na beira de um grande campo de centeio protegendo criancinhas, impedindo-as de cair. Com isso, é possível ver os dois lados da personalidade de Holden, quando ele admite que ele é um fracasso e que não consegue se encaixar no mundo adulto, mas também é sensível e inocente, tendo compaixão e compreensão por aqueles que são descolocados ou indefesos.